Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Bote?

por WAndrade, em 04.06.17

Bom dia, meus bons!

Gente, eu vou contar só um resumo porque teve mesmo muita piada e muita risada... (depois que o sangue esfriou, claro).
Portanto... sábado lindo, sol, então...estava eu a andar de bike e fiz um caminho novo, cheio de árvores, cheirinho a eucalipto, enfim, tudo na paz, melhor passeio. Nisso, vem um carro... eu, super ligada no passeio, assustei-me e  travei e parei ... nada sério, magoei um bocadinho a perna, parei a ver se havia estrago maior, não havia, voltei à bike e à estrada.
Não dei nem duas pedaladas e a vi...
Uma cobra, cinzenta, seguramente uns 2m, pulou na minha direção e... errou o bote! Claro...hehehe!!!
Ela perdeu o timing com a minha paradinha a conferir a perna... e também não sabia da potência do meu agudo.
Amigos, eu dei um grito (um?) tão alto e tamanho que só vi a cobra a correr para trás (alguém aí já não viu isso?) Pois eu vi.
Não se sabia quem estava mais encagaçada, ela ou eu.
Dei toda a força aos pés e pernas, mas sem dúvidas que, com o estardalhaço que eu fiz, a pobre deve estar a correr até agora...
Para tranquilizar, estou em casa, super bem, a rir muito do susto da cobra e, claro, a agradecer àquele delicioso senhor que jogou-me para fora da estrada.

Deus sabe sempre o que faz, né, não?
Pai do Céu, que aventura, hein?
Wania Andrade

WAndrade - 03/06/2017

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:24

Parsa

por WAndrade, em 01.05.17

Fico mesmo, mesmo comovida com alguns dos meus amigos. Sabê-los meus amigos dá cá uma satisfação, um orgulho de tê-los feito assim, amigos-quase irmãos, meus, cultivados por um carinho eficiente, diligente e muito querido. Os meus amigos, ternos, bonitos, leves, que em mim depositam o mesmo tanto de sentimento que eu neles. Confiança, sentimento tão maltratado e abandonado hoje em dia, os meus amigos tem-na em mim e isso é tamanhamente reconfortante e é uma alegria...é a minha maior gratidão, depois do "pai do céu", claro.

Isso tudo para dizer que às vezes e somente às vezes, eu gostava mesmo de que alguns deles fosse além desse amor incondicional. Há momentos em que precisamos daquele amigo, aquele que consegue lê nas entrelinhas do teu olhar mais "doce"...; aquele que sabe que tal fato foi uma imensa ironia e ninguém percebeu, apenas ele, o nosso amigo; aquele que sabe perfeitamente que estamos a mentir descaradamente, mas confirma tudo, cada vírgula.

Porque, às vezes, tudo o que a gente precisa é de uma comparsa, um cúmplice, né não?

alegria.jpg

Digamos, de um "coleguinha", não é, meu bem?

WAndrade - 01/05/2017

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:38

Sabe assim?

por WAndrade, em 30.04.17

Pois é, então... dia desses estava aqui a pensar, que coisa curiosa, as pessoas estão tão, mas tão ligadas em sua própria vida que não se dão ao trabalho de saber nem se estamos vivos. Exagero? Talvez.

É que eu sempre tenho o cuidado de saber dos amigos, envio mensagens, questiono sobre a saúde, essas coisas de pessoas gentis, como eu. Faltou modéstia? Claro, eu posso, eu sou mesmo uma pessoa muito gentil e preocupada com aqueles a quem dedico sentimentos de carinho e/ou amizade. Não falo isso por precisar, não...que dizer, sempre é bom ter alguém que se preocupe conosco, que queira saber se estamos bem, enfim, coisas dessa natureza. Graças a Deus eu não preciso disso para viver bem. Eu, a mim, me basto.

É interessante observar (e como eu gosto disso) que, nas redes sociais, quando uma pessoa curte, gosta ou comenta algum assunto, as outras presumem que está tudo bem e...vida que segue. Pouco são os que param um minuto para perguntar se estamos bem ous assim. Geralmente os que pouco conhecemos ou os amigos virtuais.

Por que estou a falar disso? Porque li uma frase com a qual identifiquei-me no ato. Quando mais precisamos de alguém e nessa necessidade ficamos chatos, choramingas, depressivos e etcs..., a malta foge, disfarça, diz que está sem tempo. Porém quando estamos bem, felizes, conseguimos superar as nossas dificuldades e percalços, deixamos de ser os chatos e seguimos a NOSSA vida, aí tem sempre aquela perguntinha danada: -"Oiiiii, Poxa, você sumiu. Está tudo bem?"

E é nessa hora que dá o maior orgulho em dizer:

feliz.jpg

E você?Já se preocupou hoje com alguém? 

 

 

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:54

Desabafo Azul

por WAndrade, em 19.04.17

Olá, amigos!

Olha, eu vou dizer uma coisa, quem quiser brigar comigo, que brigue, quem quiser conversar escreva, enfim, vou dizer.

Eu fico aqui, leio as notícias bizarras do Brasil, me enfureço, tenho pena, deixo de ler, faço de conta que não vi. Mas agora passou dos limites!!!

Não falo nem mais da política nauseabunda, golpe, essas coisas, até porque não vivo aí (lá) e sinto que seria um tanto arrogante da minha parte tomar partido.

Sinto apenas e muito.

Acontece que eu tenho família aí (lá), tenho filhos de amigos queridos e, principalmente, tenho uma sobrinha que amo profundamente e essa coisa da Baleia Azul é absolutamente inadmissível.

Desculpem-me as mães, os pais, os avós, mas eu sou de um tempo (e minha irmã também e muitos dos meus amigos) em que NÃO era NÃO, sem discussão. NÃO VAI, era NÃO VAI e acabou o assunto. Sou de um tempo em que CASTIGO  era CASTIGO, fim; um tempo em que QUEM MANDA AQUI SOU EU (no caso, minha mãe). Eu tinha hora para chegar em casa até quando ía à praia. Noite era uma coisa feita para DORMIR. Sair com as amigas dependia do aproveitamento na escola e só se alguma outra mãe acompanhasse. E fim de papo!

Tá certo que não havia telemóvel, internet e tecnologia avançada, mas tinha telefone e só era usado se e somente se a minha mãe permitisse ou estivesse por perto. Eu tinha hora para sair e hora para voltar, sem apelos.

Eu não apanhei, não levei na cara, mas tive muita briga, muita discussão e muito…"NÃO, Wania Maria!", e isot foi o que formou o meu carácter, a minha disciplina e a minha história de vida, da qual me orgulho imenso.

E tá, eu não tive filhos, mas isto foi uma escolha minha, escolha essa que me foi permitida fazer pela educação que recebi. Minha mãe é o meu maior exemplo, mesmo que tenhamos tido uma relação muito, muito difícil. Relação difícil, porém embasada no respeito. Ela era a minha mãe e a mim me ensinou que sem respeito não se chega a lugar algum.

Não julgo, embora tenha a gana, porém é preciso uma providência qualquer, qualquer coisa que pare isso imediatamente.

Pais e mães não podem, atenção, não podem ter medo dos seus filhos, de negar seja o que for, não podem substituir a educação que vem de casa (ou deveria vir) por um telemóvel de última geração ou tablet

ou a porra que for.

Pais e mães precisam ter mando sim, mão firme sim e carinho a mais valer.

Isto forma uma pessoa de bem. Amor, sim e muito, mas há que saber que filho se cria na linha, no verbo e na disciplina, senão teremos mais filhos no advérbio da vida.

Pais e mães, por favor, mantenham seus filhos vivos e saudáveis, alegres, presos até quando tiver que ser, até quando virem que eles já podem dizer não ao que não convém absolutamente.

Liberdade não é sim para tudo, aliás, neste caso, liberdade é a morte.

WAndrade - 19/04/2017

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:03

Agora com mais tempo

por WAndrade, em 09.04.17

Bom, eu estava atarefada, curso, estágio, e queria fazer bem-feito (como fiz). Tempo zero para parar, escrever,"conversar" contar coisas. Agora, mais levezinha de tempo, vamos ao paleio do bem.

Algumas observações sobre o dia de ontem, 08 de abril, dia mundial, ou seja lá o que for, do cancro e tals.

Gente, por favor, é preciso perceber, que nem toda a gente está resolvida em relação à doença (quem tem ou teve, família,amigos...). Mesmo eu, que sou pra lá de positiva, dona absoluta da superação (e da modéstia) e força total (mais modéstia), às vezes me constranjo e confesso que me abala (um bocadinho) todo o processo. Portanto, ficar pedindo para colocar na cronologia uma vela, uma flor, a porra que for, entendam que mexe com as pessoas de uma maneira que vocês não avaliam e traz lembranças às quais lutamos muito para colocar para atrás das costas.

Vale lembrar que o cancro é uma doença crónica e, como tal, os cuidados também, se é que me faço entender.

Sei que a intenção é das melhores e que só adere quem quer, porém, não custa nada parar e pensar um tantinho como isso vai chegar ao outro e qual a emoção que vai criar ou despertar.

Ah, e o mais importante, é somente a minha opinião, ok?

WAndrade - 09/04/2017

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:11

ConfIança

por WAndrade, em 14.12.15

Olá, amigos,

uma leitora do blog pediu para colocar este texto sem a formatação

(o original esta´formatado como um livro de cordel, o título é "Confiança no Cordel" de 22/06/2014). Portanto, aí está somente o texto.

Um abraço,

Wania Andrade

 

Confiança

Por ela muito famoso já despencou do salto

e muito deus do altar desmoronou.

Muita cara bonita já ficou marcada

e muita cara feia já despencou.

Muito Antonio perdeu a estribeira,

muito Mané afiou a gargalheira e

muito Zé o juízo flagelou.

Por ela muito leito foi salgado,

muita pompa esgazeada

e muito amo, desmandado.

Muita boca perdeu dente,

muito nariz, altitude, e muita sinhá, garantias.

Marias descabeladas, por ela,

perderam a pose, as posses e a galhardia.

Só que a dita poderosa,

nem de longe entende ou sabe que provoca

tanta esguelha, quando, enjoada dos pinotes, se acochambra,

sigilosa, num cantinho da orelha.

WAndrade - 22/06/2014

Esta aí, Marilsa, um abraço!

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:09

Soltas

por WAndrade, em 05.12.15

Um dia você vai ter que parar de ignorar o óbvio.

Um dia você vai ter que olhar para esses olhos e ver-lhes a tristeza,

as rugas, o baço que eles lhe devolvem.

Vai ter que parar de fingir que era isso e olhar à sua volta, o caos.

Um dia você vai ter que parar e ouvir o seu amigo.

Vai ter que encarar o deserto que é a sua alma.

E perceber o que o seu medo fez com o que era bom em você.

Vai ter que abrir as suas janelas e ver o seu próprio horizonte,

aquele que você desejou.

Um dia você vai ter que parar de rezar este credo

que mais lhe assombra e inquieta.

Vai ter que parar de abrir mão, parar de disfarçar alegrias, parar.

Parar!

 

Um dia você vai ter que parar naquela rua.

WAndrade

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:27

Conceito

por WAndrade, em 05.08.15

Ora bem, e eu que falei tanto sobre portas fechadas, dou a mão á palmatória.

Pronto, estou a fechar algumas. É assim mesmo, sou capricórnio,

demoro, pondero, penso e peso.

E quando vazo não fuloro mais.

Tenha trinta e cinco anos ou cinco meses, não me serve o que

sincero não seja, amizades ou amores (?).

Do que é obrigação não me desmando, pois juras ao alto não

se desencantam, mas de resto estou limpando a área, passando o rodo.

É uma questão de valor (eu não disse valores...).

Minha, de mim para mim mesma. O valor que eu me dou a mim

é muito para ser desservido pela mentira, pela falta de carácter,

pelo engodo e pela falsidade.

Peguei pesado? Pois peguei, é meu valor, meu espelho

não espera outra coisa de mim. O orgulho de saber que

me respeito total e profundamente, a ponto de tirar

da minha vida absolutamente tudo aquilo que

não a faça completamente feliz.

 

Sem chances e sem chaves.

cobras.jpg

WAndrade – 05/08/2015

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:08

É o tom

por WAndrade, em 25.01.15

O que leva e traz… leva e traz, invariavelmente.

O vento que lá ventou, aqui é conforme.

Sopra suas alcovitices, infla os balões da mexeriquice e traz

ais e uis de risadas, deboches, ironias e um qualquer anúncio,

à risota, sobre caras, vincos e assins.

Assim, para descanso da alma e branquejar do avalio próprio,

quer dizer, do carácter, é imperioso entender que não se leva

para a vida aquilo que vem amasiado com os copos.

De sempre em sempre, sempre tantos, faz-se papel de tolo,

lá, aqui, onde quer que cante ou conte o vento.

 

Ou o que leva e traz.

WAndrade – 25/01/2015

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:10

Direito de resposta

por WAndrade, em 17.07.14

O que os olhos não vêem aparece nas rugas, nas olheiras e na insónia,

no nervoso miudinho, na resposta impaciente, na alegria inapetente.

O que os olhos não vêem azucrina o dia-a-dia e age na covardia,

na saudade que espreita sem fazer alarde,

no silêncio que põe a devorar-lhe as vontades.

WAndrade – 17/07/2014

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:21


Mais sobre mim

foto do autor


Visitas



Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata