Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Sim...e não?

por WAndrade, em 30.08.17

Quando tudo te diz que sim, as tantas e até os inimigos…

quando do berço vês um reclame, daqueles que  

nem bem despercebes mas concebes que é um sim.

Quando a vida te vai bem, valsas e tal e, num carinho atrás da orelha,

um anjo ou pulga, vai saber, te diz sim, é um sim.

porta.jpg

 

 

WAndrade – 30/08/2017

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:51

Recreio

por WAndrade, em 08.07.17

mundo.jpg

 É bem divertido!

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:25

Vernilha

por WAndrade, em 08.07.17

Achavas.jpg

 

 Sobre poema de Esther Chaves

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:50

CarnaWan!

por WAndrade, em 26.02.17

Bom dia, meu inferno de todas...

E assim chega o carnaval dos melhores dias. Alegrias, paz, sossego, felicidade, tudo aqui no meu L.E. (o meu Lugar Encantado - quem acompanha o blog sabe do que estou a falar).

Bem, curso quase no fim, a chegar o momento do estágio e muitas outras alegrias a surgir por estes lados...por isso, estou menos presente, menos escrevedora. E também porque penso que o meu Infeerrno merece um bocadinho de descanso dos meus ais e uis de outrora.

Mas como "quem anda também observa", não deixo de o fazer (ambos), e é tãããooo interessante. No silêncio atrativo que me rodeia, tudo fica muito mais claro e seleto, óbvio, e posso entender manhas, descalabros, cegueiras e escolhas. É fixe. é beemmm fixe.

Mas eu vim aqui falar de carnaval, no caso, carnawan.

Interessante...mas pronto. Depois que eu fiquei boinha de todo, chega hora de reverviver a vida, com isso, minha irmã (éééé), minha irmã me colocou um desafio de carnaval. Como meu coração está (de novo) em festa, ela me sugeriu que mostrasse uma fantasia por dia nesse carnaval. Expliquei que cá na terrinha é diferente, não temos a loucura do carnaval de terra brasilis, que eu estou em aulas, etc,etc,etc.....não adiantou, o desafio permaneceu e forte.

Portanto, como desafios são para mim apenas... desafios, aí vai uma pequena amostra da alegria deste carnaval. As fantasias? Ah, estas virão amanhã e depois. Prometo mostrar aqui.

Abraços festivos, apertados, louros e gelados!!!

 

*Primeiro Lugar Categoria:"Trato no Visual" - Wania Andrade

carnaval.jpg

carnaval1.jpg

carnaval2.jpg

 

 

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:34

Giftup's

por WAndrade, em 05.10.16

O “Infeerrno” tem preferências, eu sei e bem sei, por isso deixo-o bem à vontade.

Sem parênteses, sem delongas e sem palhaçadas.

Aqui é a minha, eu disse a minha, rede social.

Aqui digo o que quero, do jeitinho que penso, aqui eu posso tudo.

Inclusive observar, coisa que eu adoro…

Aguardem...

Bom feriado e, como sempre, todos são bem-vindos!  

Todos!    

chão1.jpg

 

                                                      

      WAndrade - 05/10/2016

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:10

60 Tons de Wania Andrade

por WAndrade, em 27.12.15

niver3.jpg

Ainda não consigo falar, tenho a emoção grudada na garganta. Foi muita coisa para vencer, muita dor para desdoer, tanto sonho para (des)sonhar e inventar outros tantos.

Minha festa, minhas vitórias, meu ano em que renasci. Minha prima chamou-me Fênix, tenho que concordar.

Minha tribos, as várias, juntas a comemorar os meus 60 tons, bonito de ver, melhor de sentir.

Só tenho a agradecer. Valeu!

Tudo!

eu.jpg

 

WAndrade - 27/12/2015

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:28

Reparo

por WAndrade, em 06.12.15

O silêncio é uma óptima moeda de troca,

mas é mau conselheiro e amnésico.

É exímio em fechar portas, mas esquece que o mundo é redondo.

É um excelente “leva-e-traz”, mas é linguarudo, fofoqueiro e mal-educado.

Com ele não há meias palavras, diz exactamente

o que dói, como dói e porque.

Não traz benefícios, nem demonstra altivez, ao contrário,

o silêncio é um queixume claro de quem não é feliz.

O silêncio não é arma é óbvio, não é atitude é grito.

Por isso, meu amigo, não se iluda pensando ser o silêncio

a sua jogada de mestre, um seu preciosismo.

Ele sempre, mas sempre vai deixá-lo na mão

quando você mais precisar.

WAndrade - 06/12/2015

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:38

Soltas

por WAndrade, em 05.12.15

Um dia você vai ter que parar de ignorar o óbvio.

Um dia você vai ter que olhar para esses olhos e ver-lhes a tristeza,

as rugas, o baço que eles lhe devolvem.

Vai ter que parar de fingir que era isso e olhar à sua volta, o caos.

Um dia você vai ter que parar e ouvir o seu amigo.

Vai ter que encarar o deserto que é a sua alma.

E perceber o que o seu medo fez com o que era bom em você.

Vai ter que abrir as suas janelas e ver o seu próprio horizonte,

aquele que você desejou.

Um dia você vai ter que parar de rezar este credo

que mais lhe assombra e inquieta.

Vai ter que parar de abrir mão, parar de disfarçar alegrias, parar.

Parar!

 

Um dia você vai ter que parar naquela rua.

WAndrade

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:27

Desarreda

por WAndrade, em 01.09.15

Então que tenho novos vizinhos. Porta com porta. Eu disse novos vizinhos, mesmo novos. Quatro rapazes entre os vinte e pouco e os vinte e pouquíssimos anos, alegres, educados, enfim, vinte anos…ai. Vamos lá imaginar, um T0* com quatro moradores, homens. Tranquilo…

Não fosse a questão que me traz a este texto. Os móveis (incluídos no arrende) que os meninos, evidentemente, não puderam lá manter, visto que quatro camas num T0 mais os móveis, claro que alguma coisa iria sobrar: uma estante, duas poltronas e a bicicleta de um deles. Tudo no hall de entrada do prédio (que já não é assim nenhum exemplo de beleza ou de estilo).

A mim nada afectou, já há algum tempo danço a dança e sigo em frente. Mas…nem tudo são flores, dentre todos os três antigos moradores do prédio fui a “escolhida” (única mulher) para convocar a “retirada imediata daquela coisarada” da nossa tão majestosa e imperial portaria. Palavras do morador mais velho do recinto, que de tudo sempre a todos reclama.

Claro que com um quarto de hora de prosa estava tudo resolvido, os móveis retirados e a paz restituída ao local.

Mas o que me fez parar e escrever foi o reconhecer de como a vida é fácil e como somos capazes de a complicar. Quando referi que o posicionamento dos móveis atrapalhava a leitura da água e do gás, o miúdo me respondeu, dando de ombros, tranquilo, como requer a vida, seja aos 20 ou aos 80 anos: atrapalha? Desarreda.

Aprendi.

WAndrade – 01/09/2015

*T0 – imóvel com apenas uma assoalhada

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:13

Desnorte

por WAndrade, em 01.09.15

Sai do meu silêncio, pelo amor de Deus, já que eu não consigo

deixar de ser teu.

Muda de caminho, desinfecta, sai, deixa-me deixa sozinho,

vê se te distrais com algum outro pergaminho.

Este peito é meu, nunca que eu pedi as tuas mãos aqui, tão próximas

de serem dor de me tocar, nunca quis teu rosto tão rente do meu,

tão rente, tão quente, nem tentes, te arranho a sério.

Sai da minha língua, que esse doce é meu, fundo assim amargas …

que é que foi que te deu?

Não sou teu avesso, nem tua metade, nem teu lado peste ávido

de partes, nem teu lado santo húmido de culpas.

Sai dos meus domínios, bebe o teu dulçor, já que não consegues

deixar de ser eu.  

WAndrade – 01/09/2015

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:02


Mais sobre mim

foto do autor


Visitas



Posts mais comentados


""Umas estórias de amor" - Wania Andrade


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata