Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Plano

por WAndrade, em 09.10.17

mané.jpg

                            WAndrade-12/10/2017

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:55

Desnorte

por WAndrade, em 01.09.15

Sai do meu silêncio, pelo amor de Deus, já que eu não consigo

deixar de ser teu.

Muda de caminho, desinfecta, sai, deixa-me deixa sozinho,

vê se te distrais com algum outro pergaminho.

Este peito é meu, nunca que eu pedi as tuas mãos aqui, tão próximas

de serem dor de me tocar, nunca quis teu rosto tão rente do meu,

tão rente, tão quente, nem tentes, te arranho a sério.

Sai da minha língua, que esse doce é meu, fundo assim amargas …

que é que foi que te deu?

Não sou teu avesso, nem tua metade, nem teu lado peste ávido

de partes, nem teu lado santo húmido de culpas.

Sai dos meus domínios, bebe o teu dulçor, já que não consegues

deixar de ser eu.  

WAndrade – 01/09/2015

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:02

Ui

por WAndrade, em 29.08.15

Operei.

Correu tudo tão bem que só agradeço, agradeço, agradeço…

Mas, como não podia deixar de ser, teve seus momentos.

Claaaro que eu cheguei muito cedo, muito antes até do que as senhoras da limpeza, claro que o hospital ainda estava fechado, claro que eu estava em pânico e claro que eu achava que ninguém estava a perceber isso.

Ok, bloco operatório, um agradecimento enorme às senhoras enfermeiras Ana e Carolina, pelo carinho, atenção e a mão na hora da anestesia, que aliás…doeu. Dr. Fernades Costa, alegre, bem disposto e perfeito em seu ofício, gratíssima! Dr. Mario Pires, anestesista, meu respeito e gratidão, sua conversa boa, alegre e interessante sobre tantas coisas, entendeu que toda aquela minha “tranquilidade” era apenas um enorme cagaço!

Dito isto, vamos à coisa. Eu, toda Hoʻoponopono*, tentava, em vão, uma auto-hipnose que resultou apenas numa enorme risada do Dr. Mario. A cirurgia em si durou quarenta minutos, se tanto, mas para mim foram dois séculos. Ainda zoada pelo calmante fui para o quarto sem saber se era domingo ou Natal.

No mais, um ligeiro desconforto ainda, recuperação perfeita, nem cicatriz. Como sempre.

WAndrade – 29/08/2015

*Hooponopono é um dos métodos de auto cura mais efectivos que existe.

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:54

Só isso

por WAndrade, em 29.08.15

Gostava era daquele sorriso, aquele do cantinho da boca que puxava a bochecha levemente para cima. Um riso leve, que nada tinha de mais… nada, era apenas leve, sorriso de quem estava solto e a gozar de boa saúde. Riso de quem via e…só…ria. Agora era momento de rir, em paz, em casa, consigo. Entendeu de ser feliz assim, sem precisar do que fosse, apenas sorrir. Por vezes até uma compaixão aparecia para lembrar-lhe das mascarezas que a vida empresta aos oblíquos, mas era coisa passageira, logo o sorriso vinha em seu socorro, leve e atencioso.

E se ria. E mais ainda diante do espanto da moça, quando respondeu, à pergunta quase aflita, que estava óptima.

WAndrade – 29/08/2015

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:47

Tiê

por WAndrade, em 01.03.15

liberdade.jpg

 

WAndrade-01/03/2015

Ca c'était quoi?

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:42

Flores

por WAndrade, em 01.01.15

niver.jpg

 

Prenda de aniversário!

WAndrade - 27/12/2014

Quando é feito para brilhar, até no poste reflete... óh, sol!

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:19

"Vinte-Quinze"

por WAndrade, em 31.12.14

Feliz ano novo para todos nós!

Fé e força para construir esses novos dias que estão a chegar.

Amor e compaixão para eleger esse novo ano O ano, O novo e melhor de nós.

Consciência e alegria para permitir que as novidades cheguem e fiquem.

Tudo será novo e feliz se nós o fizermos assim.

Garra, esperança, honestidade e abraços.

Sinceros e quentes. Todos apertados e demorados.

Feliz “Vinte-quinze”!!!

Abraços,

Wania Andrade

WAndrade-31/12/2014

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:55

Geul

por WAndrade, em 31.12.14

A alma acanhada pela barbárie estende, débil, a mão acorrentada.

O das luzes, acostumado a estas lidas, a tudo atento antes,

chegará n’algum instante.

Cercaram os teus dias, toldaram os teus sensos,

mas é alvo o lado a que se lança, pois há de ti ainda muito, descansa.

Paciência, pequena primavera, que a derrama está por terminar,

já ouviram o teu chamado, já sabem como te alcançar.

WAndrade – 21/12/2014

 

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:44

Esforço

por WAndrade, em 16.11.14

gota.jpg

E sabe por que? Porque...

podem todas as rosas estar abertas e até Versailles estar em festa.

Pode o riso adornar o que se entende. Entende-se.

Pode a palavra enfeitar o fastio, que para isso (também) é regra.

Pode o prazer desembrulhar-se em pequenas bolhas...

pilhérias da vida…

pode o vôo ser maior que a asa.

Tudo pode…até a saudade ser mais forte que o silêncio.

Contra isso nada pode! 

WAndrade-15/11/2014

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:39

Oriente

por WAndrade, em 31.10.14

Daqui ainda vejo o mar, acredita.

E acredita também que, neste momento, é impossível

não lembrar teus olhos, os infantes de mel, como

querias, quando te fosses embora.

Que eu nunca mais pudesse abrir a janela.

WAndrade - 29/10/2014

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:55


Mais sobre mim

foto do autor


Visitas




""Umas estórias de amor" - Wania Andrade


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata