Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Medra

por WAndrade, em 16.07.15

E foi só um escorregão… mas confesso que doeu.

Não daquelas dores infindas, de cortar os pulsos, foi mais um

incómodo, vontade de ficar quieta, encolhida, escondida debaixo das

cobertas a ouvir um blues bem baixinho.

Mas passou morena, ah, passou…

Medo é traço que não combina com minhas ideias,

com aquilo que almejo.

Não tenho nem nunca tive medo de nada, é claro que

resguardo-me, mas isto e só.

Já passei o diabo, mas de cara com ele, percebes?

Ali, fuça na fuça, e se alguma vez o dito me venceu foi por milésimos,

morena, por milésimos e muito poucas vezes, acredita.

O medo só te vai trazer mais querer e mais lembrar, morena,

assimzinho com estás neste momento, só saudade,

só lembrança, só querer.

Pena, sabes? Teus olhos ainda continuavam na minha cabeça

até inda ontem, ou antes, sei lá… sem medo, tirei-os dali.

Hoje já é amanhã, morena, e o dia está lindo.

WAndrade – 16/07/2015

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:32



Mais sobre mim

foto do autor


Visitas




""Umas estórias de amor" - Wania Andrade


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata