Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Desnorte

por WAndrade, em 01.09.15

Sai do meu silêncio, pelo amor de Deus, já que eu não consigo

deixar de ser teu.

Muda de caminho, desinfecta, sai, deixa-me deixa sozinho,

vê se te distrais com algum outro pergaminho.

Este peito é meu, nunca que eu pedi as tuas mãos aqui, tão próximas

de serem dor de me tocar, nunca quis teu rosto tão rente do meu,

tão rente, tão quente, nem tentes, te arranho a sério.

Sai da minha língua, que esse doce é meu, fundo assim amargas …

que é que foi que te deu?

Não sou teu avesso, nem tua metade, nem teu lado peste ávido

de partes, nem teu lado santo húmido de culpas.

Sai dos meus domínios, bebe o teu dulçor, já que não consegues

deixar de ser eu.  

WAndrade – 01/09/2015

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:02



Mais sobre mim

foto do autor


Visitas




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata