Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Capaz?

por WAndrade, em 09.10.16
"Éstenção! Éstenção!"*
"É que eu jamais seria capaz de matar alguém e não sei o que mais...e..."
E diria minha prima: "- seria sim...dependendo da situação, seria sim"...
Ok, situação:
O ser humano acorda, depois de uma noite super, abre as janelas, e tá lá aquele solão, maravilhoso, dia lindo, e parte para o domingão.
Caminhada no parque, Nívea toda satisfeita, de rabinho arrebitado (não sei quem gosta mais de sol, ela ou eu), quando aparece um amigo dela...aff, um meliante que atende pelo nome de "Capuccino" e que mostrou-lhe, há um tempo atrás todas as "delícias" cá do parque São Matheus, incluindo o pequeno córrego que por ali passa.
Sendo que não estamos em alturas de chuvas, temos noites úmidas, mas neca de chuva, conclui-se que o córrego encontra-se quase, eu disse quase seco, coberto por uma relevante camada de...de...lama (porra!), local onde o filha da puta do Capuccino se lembrou de leva a danada da Nívea a passear. Entraram, pois, os dois e eu não dei por isso. Aliás só vi quando uma coisa completamente preta e pisganhenta saiu por detrás das flores. Aquela coisa era "The Nívea", totalmente enlameada e feliz.
Sim, minha prima, eu seria capaz de matar alguém.
 
Situação:
O ser humano aí de cima, depois de dar banho na coisa pisganhenta e enlameada, merecia um fino geladinho, daqueles de doer os dentes, certo?
Certo. Entrei no café, dia lindo, tal, tal,tal, e pedi o tal fino. Entre cumprimentar o dono, meu amigo, e pedir o fino, ouvi um som (?). Que maravilha! Era uma coisa estridente, alta, esganiçada, e......constante. Pelo que pude perceber, o "som" referia-se ao desejo de um ser minúsculo (como consegue?) por um gelado, que o desgraçado do pai, ou algoz, sei lá, não queria providenciar. E o som foi aumentando, justo à minha beira, aumentando, e o gelado não vinha; veio o meu fino, que neste momento já havia perdido toda a graça e sabor, e mais uma vez...
minha prima tem toda a razão.
*Presta atenção, presta atenção!
WAndrade - 09/10/2016
DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:42


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Fatima a 09.10.2016 às 15:15

Mais uma vez... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Visitas




""Umas estórias de amor" - Wania Andrade


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata