Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Aos que passam.

por WAndrade, em 20.01.13

   Tive um amigo, quando era revisora do JB, Sebastião (por onde será que anda meu amigo de almoços de saladas e chopes ????) que era também escritor e ele dizia que ia sempre para o trabalho a pé, pelo meio das gentes, para ouvir o que se falava,  ganhar assunto, estudar o povo.

 

   Alguns que por aqui passam, comentam as coisas que escrevo e querem respostas.

Pois digo, escrevo o que sinto, o que vejo (principalmente), o que pressinto. Nem sempre é a minha estória, queridos, não seria de bom tom!!! Claro que tem a ver comigo, com o que já passei nessa vida*.

Coisas bobas, também têm, que a tontice toma conta do ser alguma ou outra vez. Anda bem!

   Enfim, eu sou compositora e escrever para mim é ser exactamente eu, não tem porquês  ou praques ou porquens. Escrevo porque penso, gosto, desanuvio e rio. Sempre (ou na maioria das vezes).

   Àqueles que por aqui passam e (re)vêem-se ou (re)lêem-se só tenho a agradecer e a ficar orgulhosa; nesse momento penso que o blog alcança o seu objectivo maior, tocar as pessoas do bem, mostrar uma pessoa que escreve seus melhores e piores sentimentos com sinceridade.

 

   Sim, falei isso tuuuudo por causa de um comentário meio besta que recebi e já apaguei, claro (quem manda no meu inferno sou eu) que dizia algo sobre uma das crónicas, que se parecia muito com ele e se eu o conhecia…aff! Vou responder, na boa:

"Caro Sr. J. Mattos (se é que este é o seu nome): No meu inferno eu falo o que quero, por isso ele é meu. Não quer ler, não venha, simples assim. Mas, obrigada pela visita!  Volte sempre!"

 

 

 

*Momento explicação: sim, quando estive doente falei de mim, claro, da dor, da solidão, do tratamento, dos amigos que se foram, dos que chegaram de coração aberto e abraços sinceros, de quem esteve a meu lado. Também falei para quem passou pela doença, estive perto de pessoas que eu não conhecia, que não me conheciam, mas que tinham em comum comigo medos, incertezas e inquietudes. No mais é a vida...

WAndrade - 20/01/2013

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:45



Mais sobre mim

foto do autor


Visitas




""Umas estórias de amor" - Wania Andrade


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata