Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Coisas cá comigo...

por WAndrade, em 10.01.13

Olhos tranquilos são olhos que brilham e ponto.

só vi esse um brilho quando das risadas tão conhecidas, parceiras.

Há coisas que não podem ser negadas (mesmo que seja de maior vontade)

O corpo "fala", denuncia e eu decifro, como sempre

Não adianta querer mudar o nome do sentimento, o amor está presente, vivo,

e eu decifro, como sempre...

Palavras, ah, palavras...atitudes e feitos é que demonstram, quando a vida não permite mais

e eu decifro, como sempre

Decifro porque conheço cada palmo dessa alma em desalinho, que procura abrigo, mesmo que não saiba

Porque sei salteado e de cor cada fração desse coração que se quer forte mas que anseia colo, mesmo que não diga

sei um de cada pedido de socorro desse rosto aflito que se mostra inteiro, quebrado pelo vivido

Olhos tranquilos são olhos que brilham.

 

Vi esse brilho no encontro com os meus. E ponto!

WAndrade - 10/01/2013

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:37



Mais sobre mim

foto do autor


Visitas




""Umas estórias de amor" - Wania Andrade


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata