Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Conquista

por WAndrade, em 29.09.14

E nunca mais a gargalhada boa de acompanhar.

D’algumas coisas até surgiam lá alguns esgarços na boca,

mas a gargalhada, A gargalhada, não mais.

Mudaram-se, (donde?) os miúdos diamantes, hoje desvanecidos,

que eram estrelas crianças, traquinas e soltas, quase, quase bandidas. 

A flauta em Sol, tão bonita, agora apenas um sonido destonado

rouco e sem vigor.

Tudo aquietou-se na maturidade das tristezas conquistadas.

Então era isso?

WAndrade – 06/09/2014

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:38

Pavio das lembranças

por WAndrade, em 28.09.14

Tinha dia que até nem pensava, mas no outro…

o pensamento, de implicância, acendia o pavio das lembranças

e houvessem miolos!

Era um tanto daquele perfume que vinha não sabia de onde,

o nome aparecia do nada, nas notícias, no chamado de alguém na rua,

abria uma gaveta e lá estava uma camisa perdida que nem dera conta,

tocava o telefone e rezava que fosse, que fosse…

Tinha pressentimentos, até a voz ouvia, do nada.

Aquilo tudo explodia-lhe no peito que não havia o que fizesse passar,

mas tinha dia em que nem lembrava.

Hoje não foi um desses...

WAndrade – 25/09/2014

nem seria...

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:03

Dulce

por WAndrade, em 27.09.14

Mas esteve todo o tempo aqui, por aqui tudo. Era a simples questão de ver.

Sem ressábios, na certeza de que a chegada seria sempre bem-vinda.

Era um tantinho de procurar e pronto, o beijo guardado em folhas de

alfazema, o abraço prontinho e silencioso, que assim apraz.

E paz, semeada em terras de solidão, brotada mansa, como agora precisa.

E mãos de abrigo que brincam de esperança,

sem pressa, borboletas assanhadas, mas nada de assustar,

que o momento é de remanso.

E tem carinho, tem cuidados, tem sorrisos, incensos, lavandas

e mais o que a saudade ensinou a guardar com zelo.

Esteve todo o tempo aqui, por aqui tudo. Era simples questão de vir.

WAndrade – 27/09/2014

ainda é...

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:34

Setembros

por WAndrade, em 18.09.14

Não tens que agradecer, fiz com gosto.

Gozo maior foi o meu, ver os teus olhinhos-meninos,

acendelhas  do sorriso mais encantado que já vi, cheio,

cheinho de brilho e alegria.

E também não foi assim uma festa com nome e sobrenome,

foi simples, mas teve brigadeiro,

tarte de amêndoas e… chantilly, muito chantilly…

ah, deixaste a vela e um afago bom, quando me chamaste de prenda…

Feliz dia seguinte!

 

 

WAndrade – 18/09/2014

e a banda sonora...

 

 

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:38

Cantarolas

por WAndrade, em 11.09.14

Borboleta soltinha, das que brilham no claro, das que brilham, meu bem!

Arrepios daqueles que riem na pele, que riem, meu bem!

Nuvens, sem pressas, meu bem, sem presas!

Sonhos animados, de saber-se bem chegado,

seja a qualquer hora e do jeito que for, meu bem,

seja do jeito que flora!

WAndrade – 11/09/2014

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:00

Sonho

por WAndrade, em 07.09.14

Ah, Girassol, quiseste-me o mal e o mal concebeste,

com peso, com raiva.

Só não percebeste que todo este que a mim fizeste,

escorre-te pelos olhos assim que a acaba a festa.

WAndrade 07/09/2014

Sempre!

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:06

Marco

por WAndrade, em 04.09.14

Acordou, olhou para o lado e soube, tinha que atravessar o deserto.

Não importava o incerto do destino, mas tinha lá o que fosse certo na puta da vida?

Tinha. Problemas, contas e… saudade.

Mas era uma saudade tão dolorida, tão desajeitada, que evitava pensar.

Disso já tinha que bastasse.

Fugia desse sentimento mal ele lhe abordava, ainda que de leve. Indelével.

Qualquer solta consideração neste sentido, arredava para longe com força,

enfiando o que fosse naquele vão intrometido.

Mas tinha que atravessar o deserto, era lá, sabia bem, sempre soube.

Sabia que era ali, depois daquela curva lá, depois da esquina…

Lá, antes do deserto, viveu o que agora era apenas, do mais, seu maior desconhecido.

Paz.

WAndrade – 04/09/2014

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:42

Destino

por WAndrade, em 02.09.14

Quando a cabeça já não tem tamanho, quando corpo, pensamento e alma

já são um imenso vale despovoado de sentido.

Buscar, em segredo, o bordado para encontrar-se outra vez.

Sonhar, silente, a moer as vontades, até triturar miudinho, a ver se lá passa.

É, se passa a vontade… ou se a vontade passa lá...

 

Agora? Agora daria a vida por aquela chave…

WAndrade – 02/09/2014

pega na vida e vem

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:35

AVISO DO INFERNO

por WAndrade, em 02.09.14

Bom dia, amigos do Inferno!

Recebi emails a dizer que não conseguiam deixar comentários

ou falar comigo aqui pelo blog.

Muito bem, agora já não há mais este impedimento.

A caixa de comentários está liberada.

Além disso, podem usar a caixa de comentários

na coluna direita do blog.

Um abraço,

Wania Andrade

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:18


Mais sobre mim

foto do autor


Visitas




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata