Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Tento

por WAndrade, em 29.10.13

.Quer respeito? Respeite!

.Quer verdade? Não minta!

.Quer sinceridade? Não engane!

.Quer ser acreditado? Não falseie!
.Quer educação? Seja educado!
.Quer amizade? Seja amigo!
.Quer sorrisos? Sorria!
.Quer gentileza? Seja gentil!
.Quer de volta? Doe!

.Quer deixar uma boa imagem? Tenha caráter!

.Quer honestidade? Seja honesto!

.Quer dignidade? Não drible!

.Quer bons sentimentos? Não seja arrogante!

.Quer um sorriso verdadeiro? Não esconda!

.Quer que lhe admirem? Não aja covardemente!

.Quer integridade? Seja íntegro!

.Quer ser notado? Que seja por virtudes e não pela indumentária!
.Não concorda? Exponha suas razões, sem magoar ou ofender!
.Está infeliz? Peça ajuda, converse.

.Está frustrado porque fez uma merda?

   Não faça outra, procure quem sempre lhe deu a mão!
.Não sabe? Seja humilde, ouça e aprenda (não dói)!
.Fez uma escolha errada? Reconheça e volte atrás.

.Não saiu como queria? Não culpe os outros. Olhe para dentro de você!

.Ousadia rima com verdade, honestidade e dignidade. 

   Só não rima com falsidade e crueldade!

.Percebeu que errou? Peça desculpas, caráter também é isso! 

.Não acuse! O julgamento pode ser o seu.

.Intimidade não dá direito à grosseria!
.Quem age como se tudo soubesse, é sempre motivo de chacota.

.Quem se "acha", há muito que está perdido.

.Dinheiro é bom, compra sim... quem está à venda.

   Assim vale?


 

WAndrade - agosto/2007 (original)

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:25

Cuidados

por WAndrade, em 29.10.13

Sinhá, ô sinhá! Abre a janela, sinhá, olha que dia lindo!

O sol entrega-se terno nesse domingo folhado.

Sinhá, ô sinhá! Abre a casa, sinhá, tá sol, tá sol!

Mas antes, sinhá, ouve o que eu digo, abre o olho, sinhá!!!

WAndrade - 27/10/2013

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:12

Plateado...

por WAndrade, em 27.10.13

Aplacar a culpa, a vida rota e a desilusão.

Aumentar o quinhão do dízimo que impôs, crendo assim,

seguir caminho reto.

Ledo engano, pior destino.

Bem pior deitar a cabeça (de dia erguida num falsar dolorido)

no travesseiro caro, que ainda assim lhe debanda o sono.

Bem pior o reflexo do qual não pode fugir todas as manhãs,

olhar nos próprios olhos e ver quão vazia e solitária tornou-se a estrada.

Tudo o mais, quase, la plata oferece, adula, alcança, até  delicadeza!

Sim, os haveres impõem robustez de caráter, vigoram, por momentos,

o gorado, que o decadente nababo, em sua alma inconsistente... não vê.

Não quer ver e jamais admitirá que o solo impoluto que escolheu arar,

logrou-lhe apenas era encardida.    

Então impõe silêncio e distância, supondo que tal postura conceder-lhe-á o

salvo conduto de alguma credibilidade.

Ledo engano, pior destino, agindo assim assina com letras graúdas o fiasco

que comprou  prodígio; sanciona e lavra a lesa que fiou em ouro,

ficando exposto aquilo que sempre se soube.

WAndrade - 15/10/2013

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:12

Venda

por WAndrade, em 27.10.13

Engano, grande engano esse de pensar que quem

não procura não sente falta ou não tem saudades.

A saudade vai assim "comendo pelas beirinhas",

amofinando os dias, destratando os aprecios,

definhando o pensamento. Mas o alto não se dobra,

fecha o senho atarantado, tentando abafar a alma anulada.

A falta… ah, esta, cortante como o tempo,

embutida num esgar mal assentado que o sujeito diz sorriso,

se vai esgueirando pelos cantos mal trancados,

pelas bordas mal cobertas e, calada,

acata o triste que de alegre se vestia.

Sem passado ou oriente o preclaro jaz de tonto,

pois o orgulho nesse dito faz mais pompa que o sentido.

WAndrade - 27/10/2013

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:48

Sorte

por WAndrade, em 23.10.13

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:47

Poder

por WAndrade, em 21.10.13

É simples mas é para poucos. Para os que amam.

Só quem ama consegue perceber o quanto de amor existe atrás

da gana que o outro se obriga a sentir.

Ou ver, com olhos de ternura, a dor atrás do sorriso lacerado,

quase um engasgo que ele teima em exibir.

Só quem ama, entende e acarinha a mensagem atrás do silêncio que,

sabre que a ele mesmo devasta, ainda assim finca como nobre.

Sim, é simples, é só para quem ama absolutamente.

Sem truques.

WAndrade - 21/10/2013

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:36

Artista

por WAndrade, em 20.10.13

Não sou de espalhar-me no esgarçar alheio, nunca fui,

acho torpe a vingança, vileza dá-me náuseas.

Porém considero orgulho uma desfaçatez para consigo mesmo. 

Pra que? Onde mora a dignidade de quem não sabe pedir socorro,

seja em que contexto for?

Silêncio e frieza só demonstram, mais ainda, comprovam,

o quanto o sujeito está a debater-se no seu próprio desalinho,

escondendo-se nas praças mais profundas do seu desavir.

O que me atenta não são as palavras mas justamente a ausência delas.

Atitudes desamanhadas, opostas ao que sempre se foi, alertam-me

para o sofrimento alheio.

Cá do meu castelo aprecio, sem regozijo e apeada em desagrado,

o quanto dói o descontente.

Vontade minha é de abraço, que de falatórios não carece o sofrente.

Sei o que sente, vivo-o em mim e seria exatamente o que eu desejaria,

um abraço morninho e todo, que afastasse da alma a peleia,

anuviando os rasgos e desamargando o carreiro. 

Mas há quem prefira falir sem alarde.

Tem (des)gosto para tudo ...

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:17

Semblante

por WAndrade, em 20.10.13

Um dia podia contar-te... detalhes dessa estória.

Um dia...

Porém, não gosto nada da ideia de macular a tua doce alma,

teu coração fresco de sentimentos genuínos e abrangentes.

Não merecias saber que tudo aquilo que (ouves) ouviste durante anos,

não passa de um enganbelo traiçoeiro, sob véus malfazejos que entornam

a alma frágil e desajeitada, que traça apenas vôos mirrados, corrompida

por outra, desvalida e vã.

São tempos de calar para não te sujeitar a tamanho desengano, não mereces.

Tramas estranhas exibem um estar bem que há muito se sabe roçado,

ranço na raíz. Firulas desguarnecidas de qualquer, qualquer verdade,

buscam inventar o que è morto, nato morto.

O orgulho, amo fartado desta triste fantasia, enlaça as pobres alegorias que

a ti são apresentadas como verazes galhardias e mascara o que por si só é fachada.

Por ora nada direi, meu afeto por ti é grande demais, meu respeito por tudo

o que construímos, maior ainda.

Mas um dia saberás a verdade e, se calhar, não por mim.

WAndrade - 14/10/2013


DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:49

Dia

por WAndrade, em 18.10.13

Lembrei, lembrei sim, mas guardei para mim.

É de mim, é meu jeito, neve derrete. E eu sei esperar.

Wandrade - 18/10/2013

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:16

Reforço

por WAndrade, em 16.10.13

Ai,ai, vem aí mais uma lua cheia...

daqui a nada a visita "espalha-se" pelo diminuto recinto

onde desenvolve o reforço da pirraça. Ó dó!

Descarregar outro tanto de "obséquios" à minha porta?

É escusado, por cá há santuras intransponíveis, ó pa! Há muito é escusado!

Só rio, sou rio, e nele deposito a oferta precita e sigo caminho.

Pró mês, outra tentativa. Ó dó!

Wandrade-16/10/2013

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:11

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Visitas




""Umas estórias de amor" - Wania Andrade


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata