Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



de quem entende

por WAndrade, em 28.01.11

Oi, meu querido Inferno de tantas...

 

Ai, ai...ando mesmo, mesmo afiada

Ia fazer, quer dizer, minha queridíssima amiga

Lena Gino, a melhor escritora que conheço, delicada, mordaz, in-te-li-gente, amiga de tudo, leu um dos meus textos e sugeriu que virasse letra para uma canção.

Sim, comecei a letra, boa, gostei, mas fui aprofundano (viu, amiga?), aprofundano

 e, sem que eu esperasse virou uma crônica. Também gostei muito.

Querida, vou fazer a letra, prometo.

WAndrade - 01/2011

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:23

Porta aberta

por WAndrade, em 28.01.11

A morena estava faceira...

E livre.

Assim, no começo, quase não se deu conta desse pormenor, não lhe dizia respeito, afinal.

Mas... aquilo ficou na cabeça.

Muita coisa na cabeça, tanto a fazer, trabalho, aquele desandar da vida...

mas a morena estava livre...

E faceira...

Tentou firmemente, prometeu que não ia mais pensar naquilo, afinal, o que importava?

A morena estava faceira...

Afinal, superou. Superou, como assim? Hã?

A morena estava livre...

Onde foi a morena? Com quem? Ai, ai, ai, porque isso não lhe saía da cabeça,

tanto a fazer, trabalho, aquele desandar da vida...

não conseguia entender aquele pensamento na morena...faceira e livre...

Algumas vezes não resistiu, procurou na rede, nada... mas não daria o braço a torcer, claro;

nem pensar perguntar a algum dos amigos, a alguém; não, não ia, definitivamente, fazer este papel. E, também, pra quê?

aquele desandar da vida...

A morena estava faceira...

e livre...

E se, talvez, tentasse uma abordagem engraçada? Abordagem??? Que horror!!!

Sim, mas se tentasse se chegar, um nadinha que fosse? Quase sem querer, um "acaso" desses...

A morena estava livre...mas teria esquecido tudo? Sem chances de sabe-se lá o quê?

Não, a intuição dizia-lhe que não, a morena não tinha esquecido... era muito para esquecer...também não tinha esquecido, certo?

Lá no fundo, mesmo negando, sabia que, se não tomasse uma decisão rápida, perderia a morena...

que estava faceira!!!! E livre! 

Sabia que se chegasse da forma certa (?) a morena não resistiria - tinham tanto em comum, tanto que viveram - e tinha a certeza de que ao chegar, a morena não faria desfeita.

Imediatamente pensou, quanta certeza!!!  De onde tinha tirado a idéia de que a morena dobrou-se na espera? Não, a sua morena estaria lá, faceira... e livre.

Teve a certeza de que estar perdendo um bocadinho o juízo: a "sua" morena? ...aquele desandar da vida...

Sim, e se decidisse, ainda assim, tentar? Não, não daria o braço a torcer, podia era levar um redondo e sonoro (o som da morena) "Não, obrigada!" Ou ainda um "estou ocupada", ou algo do gênero "tarde demais"...mas porque pensava tanto nisso?

A morena estava faceira...

E livre...

 

Agora tinha certeza, estava completamente em confusão, divisão era o seu nome...queria a morena faceira, ah, como queria! Mas e a vida desandada?

Tá, tinha lá suas coisas ainda, a loucura já havia passado, a liberdade já não era assim tão fascinante, copos e copos, pra quê? Não tinha mais novidade, só cansaço e mesmisse. Porra, tinha se comprometido.

Mas algo lhe dizia que  a morena, faceira e livre, tinha tanto a lhe dar ainda, estava viçosa, alegre, inteira, via isso nas poucas conversas ou rápidos encontros. E onde ia a morena? O que fazia? Com quem andava? A cabeça mais e mais rodava, o pensamento já não tinha freio... a morena, a morena...  faceira e livre...

Estaria mesmo livre? Não, não tinha mesmo ninguém... nunca falava de ninguém em especial...ia a festas com amigos...

Ah, tinha ainda uma chance, claro que tinha... afinal a morena sempre estivera ali... mas não iria dar o braço a torcer, isso é que não... dar o primeiro passo? Jamais!

A morena estava faceira...

E livre... 

Mas como fazer com que a morena soubesse? 

 

 A morena sabia...  Faceira e livre, deixou a porta aberta...

WAndrade - 01/2011

 

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:44

Óbvio

por WAndrade, em 23.01.11

Falhou, né? Acontece...

Wandrade - 01/2011


DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:23

Primeiro Passo

por WAndrade, em 22.01.11

OLá, InfernoLIfe!!!!

 

De volta, quer dizer, vou, volto, paro, recomeço, paro outra vez, enfim....vida!

Mas hoje vim aqui dizer isso. A melhor coisa da vida é aprender!!! (e colocar em prática...risos)

Aponte aí e venha aproveitar: é liberdade, é vinhaça, é ficar quando for, é aproveitar o momento, é sair muito, é alegria de viver, é rir muito. É estar bem, muito bem assim!!! Ôô!!!

 Tá certo? OK. Tá na rede, tá dito, tá sentido, tá vivido (e muito)!!!

WAndrade - 01/2011

DMCA.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:49


Mais sobre mim

foto do autor


Visitas




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D


Links

Poemas e Crónicas

Rebecca Rostagno - Arte nos temperos!

Palavra de Vidro

O Inferno no Likata